terça-feira, 30 de junho de 2009

A expectativa fica…

Com bilhete já comprado, passagens marcadas e casa de amigos garantida, é com enorme tristeza que percebemos que já não vamos poder ver o MJ ao vivo!
Depois do bombardeamento de noticias acerca da morte do cantor já pouco à a dizer, apenas lembrar o grande e talentoso artista que foi.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Cinema: Ligações Perigosas

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Warrior womans











Sempre fui apaixonado por fotografia, partilho convosco esta foto de Phillip Griffiths, uma da minhas favoritas.

Inolvidável







terça-feira, 16 de junho de 2009

Parece-me a mim que as coisas estão a mudar… com tanto mulherio na manifestação!




Á cerca de dois anos quando visitei Praga pela 1.ª vez, completamente encantada com a cultura que se respirava no ar, a música, a arquitectura, encontrei-me com uma amiga que lá estava a estudar Medicina à 3 anos.
Somos jantar num restaurante tradicional escolhido por ela e por um grupo de amigos que a acompanhava, entre eles 2 iranianos, aprazivelmente divertidos e cultos.
Rimos a noite toda e foi muito agradável, e claro está, não podia deixar perder a oportunidade de esclarecer a minha curiosidade acerca do que aqueles dois achavam do regime de Mahmud Ahmadinejad.
Com tanta coisa que se fala nos noticiários acerca do Irão, estava completamente de queixo caído, porque aqueles dois nada tinham a ver com o que se vendia nos média.
A opinião acerca do regime não era nada positiva, mas eles pertenciam a uma elite restrita de pessoas que teve possibilidade de sair do pais, conhecer outras culturas e realidades, e com um padrão de vida bastante alto.
De qualquer forma achei-os pacíficos e democratas.
Com o resultado das eleições no Irão e a vitória de Ahmadinejad, que decorreu de forma muito ordeira inicialmente, com adversário à altura e tudo, fiquei admirada com os protestos depois dos resultados, não tendo qualquer dúvida que anda ali dedinho dos americanos.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Porque é que ninguém faz nada?






Assistimos calmamente à destruição galopante da Serra da Arrábida na zona do Zambujal (e não só), a extracção de pedra e o enriquecimento dos seus proprietários usurpadores à custa de um bem colectivo a preservar …

Porque é que ninguém faz nada e assistem silenciosamente à destruição de um bem natural único e tão belo?

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Vitória PSD

É incrível ver que a direita falida ressabiada, mesmo depois de causar esta crise que estamos a viver, consegue ganhar eleições, devido à forte abstenção.
Eles vão lá todos votar... o resto do pessoal vai para a praia.
O fascismo sempre ganhou com a abstenção.
Eu espero que isto mude nas legislativas... espero mesmo, espero que as pessoas vão ás urnas votar, porque se a coligação fascista PSD/Partido do Paulinho voltar a governar, estamos mesmo bem tramados...

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Eleições para o Parlamento Europeu

As eleições para o Parlamento Europeu são no próximo domingo e de acordo com as sondagens vai haver uma significativa abstenção. As políticas de Bruxelas dizem pouco aos povos da Europa.
Os candidatos andam na rua com os discursos conhecidos, há promessas e ataques aos adversários. Depois de eleitos, desaparecem e acomodam-se nas suas poltronas douradas.
O Parlamento Europeu é o único órgão eleito, mas com poucos poderes, é caro e pouco funcional, fica sedeado em Bruxelas, mas com sessões em Estrasburgo, uma situação nada eficiente, resultante do peso que certas nações têm na União, um sinal de disparidade de critérios e de influências.
Os grandes poderes da União Europeia estão centralizados na Comissão.
A Comissão é um órgão de nomeação, resultante de longas negociações, de cedências e de distribuição de tachos e de compensações em que os países mais poderosos têm mais peso.
É da Comissão que partem as directivas, normas e resoluções.
A Comissão é composta predominantemente por tecnocratas de cara desconhecida, um mundo de funcionários burocratizados, muito bem pagos e que não prestam contas aos eleitores. As competências, o mérito pouco valem nos cargos distribuídos.
De vez em quando reúnem-se os chefes dos governos das nações da União, convocados e presididos por um presidente que é presidente por escassos meses. Um Presidente rotativo, até ver, porque a Tratado de Lisboa já lhe marcou destino.
Quando o calendário marca encontros dos chefes do governo, há sempre muitas expectativas. Os jornalistas cirandam em volta das celebridades, mendigam declarações, gestos, sorrisos ou palavras de discórdia.
Pois é, puro engano! Esses encontros trazem tudo determinado. É na Comissão, nos gabinetes dos tecnocratas e burocratas que tudo se governa. As cimeiras ou conselhos, juntam os grandes, mas tudo encenado. A notícia, a fotografia, os encontros dos grandes acabam sempre bem, com decisões históricas. Para consumo público.
A crise que assola o mundo está a pôr em causa as políticas seguidas pela União Europeia. A recessão, o desemprego, a instabilidade e insegurança estão a corroer os alicerces das sociedades das nações da Europa.
Os níveis de vida, os direitos sociais, a saúde, a educação, segurança social, protecção na doença e velhice estão a ser abalados por politicas que descuidam os cidadãos para dar prioridade aos sistemas financeiros.
A política agrícola que a pretexto da competitividade, da qualidade e defesa dos consumidores, arruinou os pequenos agricultores.
A política agrícola beneficia os interesses empresariais do comércio dos produtos alimentares em detrimento da produção. Uma Politica responsável pela fome e pelo aumento da pobreza que hoje vemos nas cidades mais ricas.
Nas pescas, a mesma desgraça. As pequenas e médias empresas onde se dá trabalho, estão em falência. As politicas seguidas continuam a privilegiar as grandes empresas, onde patrões sem cara e nome conhecido, orientados por gestores e administradores têm subsídios, isenções fiscais, facilidades negadas aos pequenos, e sempre com a ameaça de se deslocalizarem, alegando dificuldades.
As políticas de Bruxelas não podem continuar a privilegiar as grandes empresas e o sistema financeiro.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Coreia do Norte filho mais novo sucede a Kim Jong-il



Em Cuba temos a família Castro; e na Coreia do Norte, já vamos na terceira vaga de membros da família "il".
Marx e Engels devem estar a dar voltas no túmulo.

Queda do Avião da Air France no Atlântico

Perante grandes tragédias, penso na insignificância que temos neste mundo.
Depois de ler a notícia online da queda do avião da AIR FRANCE, mantive a esperança que os passageiros poderiam estar vivos, à deriva com os coletes no meio do Atlântico, ou mesmo numa ilha.
- Muita televisão é o que é!
A vida é uma incógnita e se agora neste momento estamos bem, no momento a seguir poderemos já nem tê-la. O que terá passado pela cabeça daquelas pessoas perante o desfecho tão previsível do que ia acontecer, mães e filhos, nem consigo imaginar.
A realidade é dura e a incerteza também.
O mistério da queda do avião, com contornos que ainda ninguém conseguiu explicar, nem os mais peritos, é um enigma que possivelmente nunca será desvendado.
As explicações possivéis são muitos e nós saberemos a versão que os mais poderosos quiserem, nós e os familiares.