quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Bombeiros


Ontem na nossa terra, Alfarim, estava uma quentíssima noite de Verão, dentro de casa, o calor era insuportável, por isso saímos para a rua em busca de um ar mais fresquinho.
Uns sentados na esplanada do Alfa, outros no passeio a conversar, a fila no Multibanco quase chegava à estrada e haviam carros estacionados por todos os lados.
A noite estava maravilhosa e serena, quando o som estridente de uma sirene, não sabíamos se era ambulância, bombeiros ou policia, interrompeu a nossa tranquilidade
Do parque do Restaurante Alfa e do Multibanco, estavam viaturas a entrar e a sair, que possivelmente com o barulho do carro a trabalhar e o rádio ligado, não ouviram com toda a certeza a sirene.
Completamente de rompante surgiu, a alta velocidade um carro dos Bombeiros, que ignorou por completo o trânsito local e as pessoas que circulavam na altura, e que não provocou nenhum dano físico ou material, por milagre…
Quando são chamados para uma ocorrência, os bombeiros tentam chegar o mais rápido possível ao local, mas isso não lhes dá o direito de colocar em risco vidas ou os bens alheios.
A vida é o bem mais precioso que temos, mesmo comparado com casas recheadas com trabalho de uma vida inteira ou com o habitat natural.
Segundo dados recolhidos pela Liga dos Bombeiros Portugueses, sete em cada dez acidentes que envolvem ambulâncias, devem-se a erro dos condutores de veículos em marchas de emergência.
Será que têm formação para conduzir a alta velocidade?

1 comentários:

Anónimo disse...

Boa Noite :))

E não é que se passa exatamente o mesmo aqui onde moro???Eu nem sei como não aconteceu ainda nada...Moro na Cotovia e eles passam a alta velocidade na zona,por vezes até me arrepia ao ouvir e pensar que alguma pessoa de idade que vá atravessar a passadeira fica sem saber se ande para trás ou para a frente.