quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Farol do Cabo Espichel



O Farol do Cabo Espichel, data de 1790, com reformulações feitas nos séculos XIX e XX. Tem 32 metros e um alcance de 26 milhas.
“A luz deste farol é fixa e branca produzida por dezassete candeeiros de Argand com refletores parabólicos, distribuídos na respetiva árvore em três ordens horizontais, formando um sector iluminado de 260º, com seis candeeiros na primeira ordem, cinco na segunda e seis na terceira, tendo um alcance de 13 milhas. A lanterna que abriga o aparelho tem 6,80 m de altura com seis faces de 1,30 m cada uma de largo. A cúpula tem uma chaminé no vértice que dá suficiente tiragem ao fumo; mas faltam-lhe em roda tubos para a ventilação e não tem pára-raios. O edifício em que assenta a lanterna é uma torre hexagonal formada de três corpos construídos de grossas paredes de alvenaria (…) A altura de todo o edifício, desde a base da torre até ao vértice da lanterna, é de 30,7 metros. (…) Para o serviço deste farol há só um faroleiro, que tem um homem a quem paga para o coadjuvar, o que bem mostra a necessidade de haver ali mais outro faroleiro para se alternarem naquele serviço, principalmente de noite.”
Francisco Maria Pereira da Silva, em 1872
“Diferentemente do que sucede com os mareantes, que neles veem sobretudo uma ajuda à navegação, os faróis são para o observador desinteressado ou ocasional uma fonte de mistério, que facilmente convoca toda a espécie de mitos e lendas”
J. Teixeira de Aguilar, da obra Onde a Terra Acaba – História de Faróis Portugueses, de 2005
O farol está rodeado por uma paisagem magnífica que nos deslumbra. A costa é agressiva na sua natureza e a nossa imaginação refugia-se no silêncio e solidão deste ponto em que a terra acaba e a imensidão do mar começa.
(clicar nas imagens para ver maior)

1 comentários:

Anónimo disse...

Podiam fazer a atividade Uma Noite no Farol