segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Halloween, Dia de todos os Santos e Finados


O HALLOWEN celebra-se no dia 31 de Outubro em grande parte nos países ocidentais, porém é mais representativo nos Estados Unidos , onde foi introduzido por emigrantes irlandeses em meados do século XIX. Surgiu entre o povo celta à mais de 2500 anos, que acreditavam que no último dia do Verão (31 de Outubro), os espíritos saiam dos cemitérios para tomar posse dos corpos dos vivos. Para assustar estes fantasmas, os Celtas colocavam, nas casas, objectos assustadores, caveiras, ossos decorados, abóboras enfeitadas entre outros.
Por ser uma festa pagã foi condenada na Europa durante a Idade Média, quando passou a ser chamada de Dia das Bruxas. Aqueles que comemoravam esta data eram perseguidos e condenados à fogueira pela Inquisição. Com o objectivo de diminuir as influências pagãs na Europa Medieval, no século X, a Igreja cristianizou a festa, criando o “DIA DE FINADOS”, no 2 de Novembro, em memória de todos os falecidos e das suas almas.
No calendário católico cada dia tem um santo, no entanto há mais Santos que os 365 dias do ano, no início do século VII, o Papa Bonifácio IV designou o dia 1 de Novembro para os honrar “DIA DE TODOS OS SANTOS”.
A palavra Halloween significa Dia de Todos os Santos, diz-se em inglês All Hallows Day.
Estes três dias passaram a fundir-se numa mesma tradição, festejamos os santos, a vida, a morte, a festa.
Nos países onde a Festa Halloween é celebrada anualmente há a tradição das crianças saírem pelas ruas mascaradas, batendo de porta em porta dizendo: - Doce ou travessura?, ou seja a tradição de pedir um doce, sob ameaça de fazer uma travessura!
Esta tradição nasceu na crença de que os duendes nesta noite vinham pregar partidas ás pessoas, e para que eles não fizessem grandes estragos as pessoas deixavam doces e guloseimas à porta das casas.
Em Portugal, no dia de Todos os Santos, de manhã bem cedinho, as crianças saem à rua em pequenos grupos para pedir o "Pão por Deus".
Passeiam por toda a povoação e ao fim da manhã voltam com os seus sacos de pano cheios de romãs, maçãs, doces, bolachas, rebuçados, chocolates, castanhas, nozes e, às vezes, até dinheiro!
Em Alfarim é costume neste dia as pessoas confeccionarem broas para comerem e darem.

1 comentários:

Anónimo disse...

que pena os adultos não poderem ir ao pão por deus, era tão divertido, e as broinhas de Alfarim feitas pelas velhotas, muito duras, deliciosas, que saudades
Carlos